Radio Atalaia FM Rio. Aperta o Play!


sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Biden tem reforço na segurança conforme se aproxima da Presidência

 Biden tem reforço na segurança conforme se aproxima da Presidência

Serviço Secreto aumenta proteção em Delaware e órgão regulador da aviação criou zona de bloqueio em torno de residência do democrata


Se Joe Biden for declarado vencedor e Donald Trump se recusar a conceder a presidência, o Serviço Secreto pode manter-se fiel ao republicano até que os resultados sejam avaliados pelo colégio  eleitoral em meados de dezembro e oficializar a vitória do democrata - 05/11/2020 Jim Watson/AFP 


O Serviço Secreto enviou reforços nesta sexta-feira, 6,  ao estado de Delaware, nos Estados Unidos, para proteger o ex-vice-presidente Joe Biden, que aproxima-se da Presidência e pode, em breve, ser declarado vitorioso. 


A agência de segurança aplicou a medida depois que a campanha do democrata confirmou que Biden continuaria usando um centro de convenções da cidade de Wilmington, onde mora com a família, para todos os discursos, de acordo com o jornal americano The Washington Post. 


Já há dezenas de agentes do Serviço Secreto no centro de convenções em Wilmington. A segurança adicional para a campanha de Biden não chega ao tamanho de uma comitiva presidencial ,  mas chega perto. De acordo com o Post, não está claro a partir de que momento a agência vai passar a proteger Biden como presidente caso ele ganhe. 


A Administração Federal de Aviação dos EUA chegou a impor nesta sexta-feira uma restrição de voos sobre a casa de Biden em Wilmington, após bloquear já na quarta os entornos da residência.


Geralmente, o Serviço Secreto aumenta a proteção do presidente imediatamente após ser declarado vencedor. Nas últimas eleições, o incremento na segurança aconteceu na própria noite do pleito, depois dos discursos de concessão e de vitória, mas a disputa deste ano foi atrasada pela contagem de votos e marcada por ataques infundados do presidente Donald Trump à validade dos votos. 


Na disputada corrida presidencial de 2000, entre o republicano George W. Bush e o então vice-presidente democrata Al Gore, não houve presidente eleito por 36 dias. Após uma recontagem de votos na Flórida, houve uma batalha judicial na Suprema Corte, que deu a vitória a Bush. 


Durante esse tempo, o Serviço Secreto manteve o destacamento de proteção à vice-Presidência com Gore e protegeu Bush como candidato.   Os ânimos do pleito de 2020, contudo, mostram-se mais elevados.


Na quinta-feira 5 ,  Trump declarou, sem apresentar provas, que funcionários públicos “corruptos” estavam contando votos “inválidos” nos estados onde em disputa onde Biden tem vantagem. Além disso, sua campanha abriu processos para interromper a contagem de votos, alegando fraude, sem evidências. 


Se Biden for declarado vencedor e Trump se recusar a conceder a Presidência, o Serviço Secreto pode manter-se fiel ao republicano até que os resultados sejam avaliados pelo Colégio Eleitoral em meados  de dezembro e oficializar a vitória do democrata. O Post reporta, contudo, que a agência de segurança provavelmente aumentaria sua proteção antes disso, de acordo com um ex-agente. 


Por Da Redação


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

1° Conferência de Mulheres. na Igreja ADMVR em Jacarepaguá RJ.

  Vem aí 1° Conferência de Mulheres 25 Setembro as 18hs na Igreja ADMVR em Jacarepaguá Direção Neylma Neylma Preleitora Dra Iradi Coutinho ...